Meats


R. dos Pinheiros, 320 – Pinheiros, São Paulo – SP, 05422-000

MENU: https://www.eatmeats.com.br/menu

Pratos na foto:

Vaca na Faca – com steak tartare

Hamburguer – não lembro (se eu lembrar atualizo)

Bebida – Louis Pink Lemonade

Horário:

sábado11:30–00:45
domingo13:00–22:00
segunda-feira12:00–16:30, 18:00–21:00
terça-feira12:00–16:30, 18:00–21:00
quarta-feira12:00–16:30, 18:00–21:00
quinta-feira12:00–16:30, 18:00–21:00
sexta-feira12:00–21:00
(horários podem variar com a pandemia)

Airpod Cases

Tags

, ,


Capas servem para Airpod 1 e 2, não entra no Pro.

Forma de Pagamento:

1 – Transferência bancária do valor da capa

2 – Se houver frete, a nota dos Correios é enviada por mensagem para a transferência do frete separadamente.

São Paulo, capital, entregas, dependendo da localização.

Capas Lisas

Capas Decoradas


Capas Lisas
R$40
  • Frete à parte
Capas Decoradas
50
  • Frete à parte

RESERVAS E INFORMAÇÕES:

contact.corinaevelyn@gmail.com

Mensagens: https://www.instagram.com/corinaevelyn/

Último mês do ano


Era Março de 2020 e todos na empresa foram enviados para trabalhar em ‘home office’, devido a uma pandemia. De primeira instância, a sensação era de algo rápido como um mês, mas, fazem quase 8 meses que estou em casa, sem previsão de volta ao escritório. Ao menos, continuei com emprego, muitas pessoas perderam o emprego.

Está sendo uma fase muito complicada psicologicamente, mas pelo fato de ter um emprego, consegui estabilizar as finanças, saindo menos e gastando menos, por estarmos ‘presos’ em casa. Vendo por esse lado, tem sido bom. Vendo pelo lado psicológico, tem sido terrível, já perdi as contas de quantos surtos eu tive.

Para muitos, foi um ano perdido, mas para mim, vejo um ano de muitas instabilidades, porém, de muitos aprendizados.

O valor das coisas, não apenas materiais, mudou. Vi e ouvi várias histórias de pessoas que perderam familiares e, me mudar para perto da minha família foi a decisão mais sensata do ano.

Agora, penso muito em voltar ao meu canto. Depois de morar sozinha, voltar para a casa da família é algo complicado, principalmente para quem tem ou curte um tipo de rotina própria: eu.

Dizem que, a segunda onda do Covid19 (o vírus maldito), está por vir ou já está passando. Muita gente ainda evita sair para não pegar nem transmitir, muita gente sai por ter que trabalhar presencialmente e muita gente sai por não acreditar que existe um vírus. E por aí vai.

Eu, de grupo de risco, me prendi em casa na primeira onda e, surtei depois de passar 21 dias presa. O mês de Maio, que foi meu aniversário, passei bem depressiva, afinal, não queria trintar em casa, logo eu, a pessoa mais festeira. Agosto, sempre aquele mês que nunca acaba, mas já estávamos há uns meses em um Agosto sem fim. E continuamos.

Outubro eu saí, com medo, para ir ao médico. Deu a impressão que só eu na cidade acreditava e tinha medo do vírus. A cidade parecia acontecer tudo normalmente. Pessoas na rua, carros, tinha até trânsito. Eu não entendi nada.

Agora, fim de Novembro, a segunda onda do vírus e continua parecendo que está rolando um Carnaval na cidade e eu aqui em casa. No máximo, fui ao mercado e, jogando álcool dos pés à cabeça.

O ano está acabando e, não sei dizer se estou feliz ou aliviada com isso. Afinal, o ano acaba, mas a pandemia não. Há rumores de uma vacina, mas nada sobre a real liberação.

Ao menos, acostumei com o ‘home office’. Primeiros dias? Amei. Depois de um mês, odiei. Alguns meses depois, nível de stress lá em cima. Agora, ainda me estresso, mas acostumei e até quero continuar. Bate uma saudades do escritório, às vezes, mas mais pela farra com o pessoal.

Uma parte de mim sim, é super social, outra, quer se fechar no quarto e não ver/falar com ninguém.

É, a idade chegou.

P.S. De qualquer forma, vou brindar ao fim de 2020, pela bizarrice de acontecimentos no mundo. Espero que seja o fim mesmo e, nada de zumbis! kkk