Como todo final de ano, resolvi escrever aquele post.

2018, o que posso dizer deste ano que passou voando e eu nem vi?

Na verdade, quero falar sobre meu presente de Natal de 2017. O meu presente foi um emprego maravilhoso e um futuro que eu nunca imaginei ter. Eu vivi perdida, fazendo mil cursos, sem saber o que eu gostava. Sempre gostei um pouco de tudo e me culpei por isso. Mas, achei um lugar onde as pessoas não se importam qual curso eu fiz, qual meu status social, qual a minha raça, qual a minha idade. As pessoas aceitam e, melhor, ao meu ver, elas são tão loucas quanto eu e algumas são até um pouco mais. Eu amo demais!

Olhando para trás, eu vejo que passei 26 anos da minha vida tentando ser quem eu não sou, preocupada com o que as pessoas pensavam de mim e fazendo coisas que esperavam que eu fizesse, uma vida toda manipulada por uma sociedade que não está feliz com a própria vida e tenta impor regra na vida dos outros, sendo que nem a vida dessas pessoas está dando certo. Hoje, ainda tenho alguns surtos, porém, o lugar onde estou, me permite ser eu, e “tá tudo bem”. Eu achei que nunca ia me sentir assim em ambiente de trabalho. Sério. Eu estou muito grata por trabalhar em uma startup!

Dia 01 de Dezembro de 2017 foi o dia em que minha vida começou a mudar. Depois de várias entrevistas fracassadas e vários descasos de outras empresas de pequeno e médio porte, resolvi aplicar para uma vaga numa empresa bem conceituada. Eu juro que, quando apliquei para essa vaga, minha auto-estima era zero e eu não acreditava que ia passar, mas enviei mesmo assim. Me disseram que gostaram bastante do meu currículo e eu fui com o pé atrás, mas fui mesmo assim. A primeira etapa foi toda online e, eu juro que nunca fiquei tão nervosa ao preencher um formulário.

Dia 08 de Dezembro de 2017 foi o dia em que eu me superei, nunca vou esquecer! Era o dia da entrevista presencial. Foi a primeira vez que me empenhei tanto a estudar para uma vaga. Fiquei uns três dias no escritório lendo artigos, assistindo vídeos, estudando de tudo e um pouco mais. E, a primeira vez também, que eu preparei uma apresentação para uma entrevista, cheguei até treinar no espelho. As outras não tinham nada disso, eu estudava e tal, mas no final eram entrevistas que me fizeram apenas perder tempo. (literalmente)

Um dia antes da entrevista, me ligaram do RH e perguntaram se eu realmente ia na entrevista. Me achei super importante. Por ligarem, pensei que estavam realmente precisando de candidatos, afinal, nunca sequer me ligaram para perguntar se eu ia na entrevista, sempre foi tanto faz. Acabei achando que ia ter pouca gente no dia, mas…

Dia da entrevista. Um trânsito dos infernos e quase que eu me atraso, mas deu certo. Só sei que ao chegar, vi umas 60 pessoas na recepção. Pensei na hora “ferrou, já era, mas já que estou aqui, vamos lá, né?”. Auto-estima e auto-confiança ZERO.

Neste dia, apesar de nervosa, eu acho que estava mais relaxada depois de tantos nãos que eu tinha recebido anteriormente, mais um seria ok. Tudo que fiz e falei foi espontâneo e, para falar a verdade, nem lembro do que falei. Para mim, eu tinha é gaguejado tudo e ninguém tinha entendido nada. Eu só sei que, a entrevista e as dinâmicas duraram das 9 da manhã até às 16. Passei a manhã e tarde lá e, conheci muita gente. O final do dia chegou e pensei: “Se eu não conseguir emprego, pelo menos fiz novas e boas amizades”, fizemos até um grupo no Whatsapp! – que sobrevive até hoje!

Eu achei que não ia passar, principalmente quando eu transformei o Coffee Break em “Standup”, contando das minhas aventuras de viagem e minhas palhaçadas básicas. As salas são todas de vidro e, uma hora olhei para cima e os entrevistadores estavam olhando a muvuca ao meu redor e a galera toda rindo. Pensei: “Ah…agora já foi, vou terminar a história.” hahaha Fazer bagunça, eu? Magina. E é sempre sem querer. Ninguém mandou ser aquela pessoa que fala até com poste na rua, né?

Outro momento que achei que eu não ia passar foi quando tivemos um teste falando sobre finanças e eu era praticamente leiga de alguns assuntos que perguntaram. Sério. Pensei: “já era”. Pessimismo total. No final, acabei ajudando no outro assunto que eu manjava: viagens. Acabei as entrevistas e, até que fiquei satisfeita por ter ficado até o final. Das 60 pessoas, grande parte da turma tinha sumido. Só sei que, no final, fiz amizade com o povo e acabamos tomando cerveja no bar do lado. Se não tivéssemos passado, pelo menos estávamos confraternizando. hahaha

Eles falaram que iam dar resposta na segunda-feira às 20h. Este final de semana eu quase não dormi direito.

Dia 11 de Dezembro de 2017, a tal segunda-feira. Eu e as meninas passamos o dia conversando no grupo do Whatsapp e, quando foi dando a hora, algumas foram recebendo já o e-mail com resposta positiva. Eu não sei como não surtei de ansiedade. Eram 20:10 e não tinham mandado nada!

Eu já estava deitada, preparando para chorar e, do nada, PLIM! Chegou um e-mail. Me deu um super medo de abrir e ter uma negativa. Confesso que parei para respirar fundo antes de clicar. Quando eu abri o e-mail estava escrito:

“Parabéns, estamos convidando você a fazer parte de nosso time!”

Eu juro para vocês que eu fiquei parada uns 10 segundos antes de eu começar a gritar, minha cachorra começar a latir, os gatos do telhado começarem a correr, e meus pais acharem que eu estava tendo um ataque. Pequeno detalhe era uma casa e qualquer barulho ecoava…acho que os vizinhos também ouviram. hahahahahaha

Eu chorei de emoção! Eu não acreditava que tinha passado na entrevista! Demorei muito para cair a ficha. E, foi em Dezembro do ano passado que comecei a chegar à conclusão de que tudo vem na hora certa. De 2017 para 2018, passei por alguns perrengues, mas, este presentão me fez superar quase todas as dores. hahaha

Olhando para trás, conseguir este emprego, não foi só conseguir um emprego. Significou uma evolução pessoal, eu consegui me provar que eu conseguia as coisas e entendi que, o que devemos fazer é nunca desistir. Vão ter milhões de nãos, mas vai ter aquele SIM que vai mudar sua vida, assim como aconteceu comigo. Depois que a fase do não acabou, vieram bastante sims pelo caminho, mas os nãos ainda aparecem, fazer o quê. Nada é perfeito!

Bom, como dizem, a vida é uma caixinha de surpresas. Um novo ano está se acabando, mas outro já está para começar. E novas coisas estão para vir e, todo dia é um bom dia para um novo começo, não é verdade? Não sei onde eu li, mas:

“A vida é feita por capítulos. Um capítulo ruim não quer dizer que é o final da história” (Autor desconhecido)

O negócio é continuar seguindo em frente e, por mais que doa por dentro, nós temos que continuar, não tem jeito. Estamos no meio de Dezembro e, apesar de muita coisa ter acontecido este ano, sinto que estou numa constante evolução pessoal, espiritual e profissional. Claro que, este ano, tiveram algumas situações em que eu achei que ia desistir de tudo. É aquela história, a gente quer jogar tudo para o alto, mas quem vai catar a bagunça no final somos nós mesmos.

Auto-controle é algo que aprendi muito este ano. Lá por dentro eu quero dar na cara de um povo, mas eu fico aqui focando na vida zen e evitando ao máximo o desgaste de energia com gente desnecessária. A melhor coisa que fiz desde 2014, foi me desprender do que me fazia mal. A cada ano que passa, me sinto mais leve.

Que em 2019, todos consigam se livrar dos embustes e viver bem! Mais um ano acabando, mas já já tem um ano novinho para novos começos!

Paz e amor! Boas festas a todos!!!

Corina Evelyn

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s