Um post aleatório de desabafo

Hoje deu vontade de postar. Eu tenho procrastinado muito de escrever aqui no blog. E pensar que me formei em Comunicação Social pela minha paixão de escrever. Não sei por que, não tive vontade nenhuma de seguir carreira na área depois do curso, mas sempre amei blogs desde os 14. E aqui estou novamente. Não sei por qual razão deixei de escrever, mas eu sempre acabo voltando. Na verdade, até escrevi alguns posts este ano, mas não publiquei, ficaram só no rascunho.

Eu antes, não me preocupava tanto com as coisas que postava, mas nos últimos anos tenho me regulado demais. É que eu sempre me me abri mais e demonstrei melhor meus sentimentos escrevendo e, no blog, eu me empolgo e acabo escrevendo coisas a mais sem perceber, vocês vão ver neste post de hoje. Quando estou digitando aqui, tudo que martela na minha cabeça vai fluindo e quando eu vi, já escrevi 2 mil palavras de completos desabafos. E aí, vai pro rascunho. Mas hoje, não vai pro rascunho, preciso muito desabafar. Não sei quem vai ler, mas só de postar, sinto uma leveza, como se eu tivesse contado pra alguém.

Desabafar no blog é uma válvula de escape e, em tempos de stress, é a melhor terapia que posso ter. Os anos foram se passando, os amigos foram se afastando, minha confiança diminuiu sobre as pessoas no geral e no fim, acabo guardando muita coisa para mim.

No dia a dia, eu sou uma pessoa que dizem ser muito animada, sempre pronta pra festa, a palhaça da turma. Ninguém crê que eu possa ter alguns traumas, que eu possa ter meus momentos deprê ou que eu passe por perrengues. Afinal, eu sempre estou saindo, contando piadas, cantando, gargalhando, fazendo stories loucos. Mas, vocês já repararam que a parte da minha vida que vocês vêem é apenas a boa? Eu não vou ficar postando nas redes os perrengues diversos do cotidiano. Muitas vezes, por dentro, se não estou em cacos, estou repleta de estilhaços.

Eu zoando, gargalhando, contando piadas sou apenas eu tentando me auto-distrair e também, é um vício ser bobona. Não é nem questão de manter aparências 24 horas por dia. Ser alegre e fazer as pessoas rirem é um hobby, me dá prazer ver as pessoas rindo, por mais que muitas vezes eu me faça de “bobo da corte”. O tempo que não estou na bad, quero sempre estar animando quem precisa ou fazer as pessoas felizes mais felizes. Um dia, se eu morrer, quero ser sinônimo de alegria.

Agora, desculpem se for pesado, mas eu preciso desabafar isso. Tenho um problema de saúde meio raro, que não costumo contar mais pra todo mundo porque odeio que sintam pena de mim. Mas, resumindo, quando eu tinha 10 anos, descobriram que meu sistema imunológico parou de produzir anticorpos e que eu ia ter que repor todo mês, a vida toda. Os médicos não acharam o por quê, apenas parou de funcionar, não era nem genético. E, descobriram quando eu estava quase morrendo, com pneumonia. Foi um choque muito grande, mas vaso ruim não quebra. hahaha Desde então, frequento o hospital e tomo infusões de imunoglobulinas mensalmente faz 19 anos.

Ir ao hospital virou rotina e, perante aos outros pacientes, eu tenho menos problemas porque descobriram o problema “cedo”, então, não tive sequelas. Mas, nestes últimos 19 anos, cada mês que passou eu via alguém sumir (morrer) e, por mais que meus problemas sejam menores, eu não sei mais quantos anos eu vou viver. Tudo que eu faço diariamente, toda loucura e decisão que tomo, é como se amanhã eu não fosse estar mais aqui.

Eu sei que parece dramático e estúpido, mas literalmente, cada ano que passa, eu sinto que é um ano a menos para mim. E, tem muita gente que me acha dramática quando eu fico triste de não comemorar meu aniversário, mas para mim é comemorar mais um ano que eu vivi.

Não tenho medo de morrer, mas mês passado saiu o resultado do meu último exame de sangue. Não foi super ruim, mas pra mim indicou que, mesmo depois de 19 anos, a possibilidade do meu sistema imunológico voltar a funcionar ou pelo menos estabilizar é praticamente ZERO. Toda esperança que eu tinha de um dia conseguir uma alta, fez “puff”. E eu ainda me sinto mais deprê e pior por ainda ter esperança dentro de mim de receber essa alta impossível. Muito besta da minha parte, mas sou brasileira e nunca desisto, além disso tem minha teimosia taurina. hahaha

Eu não acho ruim de ir ao hospital uma vez por mês e tomar infusão por 6 horas, já acostumei. Mas eu queria muito esta alta para deixar de ter essas crises anuais. E, também, parar de me preocupar com vacinas que não funcionam ou de me preocupar de contrair doenças de uma vacina. Outra coisa que seria boa de eu conseguir alta, seria ter pais menos preocupados. Assim como eu sinto que vou morrer logo, eles devem ter algum tipo de preocupação com isso também. Além disso tudo, eu gosto muito de viajar e, por causa desse “negócio” não posso viajar pra alguns países por terem alto índice de algumas doenças que eu posso pegar facilmente. Eu não tenho ninguém pra poder desabafar isso, a maioria fala “ah, todo mundo morre um dia”, mas não viveu um dia sequer sob a minha pele.

Ai, acho que por hoje já deu. Chega. Tive que parar umas 3 vezes pra chorar escrevendo este post. Meu vizinho deve me achar louca, hora estou gargalhando, hora estou chorando. Sorte que eu tenho esse dom de dar risada de tudo, às vezes, torna minha vida mais leve. Pensando bem, sou louca mesmo, desculpa aí, gente. hahaha

Por hoje é só este drama da minha vida. Desculpa o papo chato, mas estou me sentindo mais leve agora.

Beijos <3

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s