Esta semana eu tive um ataque de risos do nada por conta de minhas próprias histórias.

Semana passada tive enxaqueca de quinta à segunda, junto com febre, calafrios, enjôo, tonturas e falta de apetite. Pronto, achei que ia morrer, nenhum dos 5 remédios que me deram na farmácia estavam funcionando. No final, lembrei que a última enxaqueca que tive eu curei com cerveja. Parei o remédio e tomei umas duas Stellas. Funcionou de novo, apesar de eu ter ficado pior que as outras vezes, demorei pra recuperar e nunca tive a febre que tive. Foi de acordar com a roupa toda pingando de suor e tomar banho três vezes na mesma noite. Foi horrível.

Mês de Janeiro eu fui ao Parque da Mônica e, graças a este dia e às minhas crises de sinusite e rinite, fiquei sem voz por mais de um mês. Fui na Unifesp e me marcaram exame só dia 5 de Março. Péssima ideia que eu tive. Pra quem não sabe, eu trabalho de final de semana até de madrugada. A última segunda foi dia 5 e eu saí 4h30 do trabalho e fui dormir 5h30. Acordei 7h30 porque minha consulta no Otorrino era às 8h. Maravilha! SQN.

Eu, já toda zoada da enxaqueca, ainda tive que fazer aquele exame de nasofibroscopia, onde o médico enfia um fio com câmera no seu nariz e vai até a garganta. Se eu já tinha trauma disso da minha infância, só piorou. A moça que fez o exame ainda era aluna, ou seja, fui uma cobaia…serviço público é mara. Estavam lá na mesma sala três alunas e o professor que resolveu ficar dando aula enquanto eu estava lá com ânsia com o fio no nariz encostando nas minhas amígdalas. E ainda me pediram pra eu olhar a televisão pra eu ver minha garganta e a mulher ainda queria que eu falasse com ela com o negócio lá. E eu tentando não ‘gorfar’ na cara dela. Dahora.

Acabando, o professor perguntou pra elas o que elas achavam que era o negócio que tinha na minha prega vocal. Eu já estava nervosa e aí uma falou que era cisto e a outra falou que era nódulo. Nem surtei. Magina! Mas depois o médico falou pra eu não me preocupar que não era sério e que ele estava treinando elas. Nem percebi. Magina! No fim, o resultado era que o negócio que eu tenho na minha prega vocal é hereditário e por isso sou rouca e se eu não tratar vou ser rouca pra sempre. Que bom! SQN. Mas, menos mal.

Quarta-feira, tinha um evento no trabalho. Fui, encontrei a galera, assisti um pedaço da palestra e acabei no bar do lado. Estava indo embora com uma colega e quando chegamos no estacionamento, tinha um gato miando alto, umas pessoas em volta de um carro e o capô aberto. Tinha um gato no meio do motor. Uma das meninas foi salvar e ele saiu correndo. Todo mundo lá no estacionamento correndo atrás da criatura. Desespero.

Finalmente uma das meninas pegou e o gato começou a arranhar e morder ela super forte a ponto de sangrar. Ninguém ajudou ela e eu, que já tenho vários problemas de saúde, me propus a ajudar e meti a mão no gato. Saí com dentadas, arranhões e o tampo do meu dedão rasgado. Maravilhoso! No final, colocamos o bichano numa caixa e ainda EU que já não sou muito fã de gatos, mas salvo qualquer bicho que vejo, acabei levando o gato na casa de uma amiga que é Veterinária.

A gata ficou lá uma noite e era pra eu buscar ela no dia seguinte. Deu quase tudo muito errado esse dia. Eu tinha sessão de fotos marcada e, como troquei o celular, meu Zap não estava funcionando e fiquei sem contato com essa amiga, que tinha uma entrevista às 19 em São Bernardo. Acabei a sessão quase umas 17h e fui correndo pra casa dela. No final, acabei numa briga com essa amiga e não consegui pegar a gata apesar de eu ter ficado tentando achar a gata por horas com a mãe dela. E quando achamos, a gata quase me atacou de novo. A mãe dela falou pra voltar no dia seguinte. Acabei indo embora de mãos abanando.

No meio dessa história, acabei levando multa de rodízio por causa da gata que nem gosta de mim, sendo que eu que encontrei abrigo pra ela nos últimos dias. Ingrata! Fiquei presa perto da casa da minha amiga até o rodízio acabar, percebi que não tinha comido faz tempo e estava morrendo de fome. Quando estava comendo olhei para os ferimentos no meu braço e mão e estavam vermelhos e inchados. Maravilha!!! Resolvi ir pro hospital. E olha que nem por causa da enxaqueca eu tive que ir…e acabei indo por causa de um ataque de gato no estacionamento do trabalho. Quais as chances? Pessoa zicada? Magina!

Fui pro hospital e a médica me passou dois antibióticos pra tomar. Pelo menos desinchou mas eu ainda estou com medo de dar alguma coisa desde que minha imunidade não é das melhores. Sexta-feira fui buscar a gata na casa dessa amiga e acabei no mesmo restaurante do dia anterior…sem poder tomar um chopp por causa do antibiótico. Dá licença…

Busquei o gato umas 21h, levei o gato no meu carro com música instrumental de piano pra ele ficar quieto. Olha os cuidados! O bichano até dormiu! 22h estava lá eu no trabalho com a gata, num dia que não trabalho. Maravilha! Levei a gata na casa da colega do trabalho e cheguei em casa 01 da manhã, por aí.

Aí chegou o dia de ontem, Sábado. Acordei cheia de dor no corpo, toda cagada por causa da sessão de fotos e cansada por causa do que eu chamei de Saga do Gato. Nem descansei direito. E, pra ajudar, meus pais não entendem que eu trabalho de madrugada e querem me acordar 8h30 da manhã, sendo que eu durmo todo dia umas 4 ou 5 da manhã. Meu deus, que semana!

Anteontem postei essas histórias nos meus stories e me matei de rir de mim mesma. Espero que tenham se divertido. Rir da própria vida é essencial! Melhor que ficar chorando.

GOOD VIBES PRA TODOS!!!

Boa noite, 03h35, hora de ir pra casa.

Amanhã tenho folga! <3

Nunca achei que ia dizer isso, mas meu psicológico precisa de descanso. Fui!

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s